sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Cadê você ?


"Senhor por mais que eu fale que não tenho medo de caminhar,
 Sinto uma insegurança, pois sou ser humano, com defeitos, imperfeito,
Mas sei que os teus olhos estão sobre mim, a me vigiar.
Mas quero ouvir tua voz me dizendo: Não temas, sou contigo, só confia em mim.
Eu sei que não estou só, pois sinto Tua presença em mim.
Eu sei que não estou só, posso até descansar, repousar em Teus braços
." (Bruna Karla - Eu Sei Que Não Estou Só)


Eu estou triste.
Eu sei que ele não está bem, sei que ele está cavando o próprio poço, mas sabe quando a co-dependência dói, quando ela grita, quando ela quer se manifestar de alguma forma; o primeiro passo do Nar-Anon é "Admitimos que éramos impotente perante o adicto e que tínhamos perdido o controle de nossas vidas."
Como é difícil admitir essa impotência, gente, eu quero fazer alguma coisa, eu quero tomar uma atitude.

Alguém se identifica? Alguém já teve esses surtos? Eu sei que a melhor coisa que eu posso fazer, é ficar quieta, porque falar não adianta, não adianta despejar qualquer sentimento achando que eles são depósitos de lixo que não vai adiantar, e eles estão anestesiados.Ai, a insana serei eu.
Mas sabe quando você quer fazer alguma coisa, mas você é impotente, perante o adicto, perante adicção, como é triste isso, como é duro. Mais difícil ainda é aceitar isso, é admitir.

Confesso que eu (muito) queria estar com ele, mesmo sabendo que amanha ele terá que levantar cedo, como eu também, pois preciso resolver umas pendências, mas mesmo assim, eu queria ficar um pouco com ele.
Sinto falta dele, vocês não tem noção do quanto. Devido aos horários que ele faz no trabalho, nós ficamos pouco tempo juntos, só domingo é o único dia livre, mas eu tenho que dormir cedo, para levantar cedo na segunda-feira.

Ele é meu companheiro, meu amigo, meu anjinho, meu amorzão, meu gatíssimo. Ele é aquele que sempre vai na padaria, pede dois pães na chapa, um café e para mim um suco, numa dessas vezes ele me ensinou a tomar Taff Man Ex (acredita que eu nunca havia tomado??), ele me apresentou a vitamina mais gostosa (na minha opinião e na dele) que fica lá em Itajubá, sul de Minas, ele me ensinou várias coisas. Gosto dele ligar pra ele, e ouvir a sua voz atendendo: "oi meu anjo", "oi amor"ou se não "amor, to chegando". Mas dói quando o celular dá caixa postal ou só chama e ninguém atende.

Ele é muito bom para mim, mesmo com a dependência química eu consigo ver as qualidades nele, valores de um homem. Às vezes eu não consigo ter palavras para descrevê-lo, não escrevo tão bem quanto gostaria, mas o pouco que eu escrevo, sei falar que ele é uma ótima pessoa.
Mas a maldita droga estraga qualquer pessoa, tira qualquer momento com a família.



Mas só por hoje, eu vou confiar em Deus e que amanhã será um dia melhor.
Tenho esperança, tenho fé para isso, e não posso esmorecer.




6 comentários:

  1. `Deus do Impossível
    Trazendo a Arca

    Quando tudo diz que não
    Sua voz me encoraja a prosseguir
    Quando tudo diz que não
    Ou parece que o mar não vai se abrir
    Sei que não estou só
    E o que dizes sobre mim não pode se frustrar
    Venha em meu favor
    E cumpra em mim teu querer..

    O Deus do impossível
    Não desistiu de mim
    Sua destra me sustenta e me faz prevalecer
    O Deus do impossível
    O Deus do impossível

    Quando tudo diz que não
    Sua voz me encoraja a prosseguir
    Quando tudo diz que não
    Ou parece que o mar não vai se abrir
    Sei que não estou só
    E o que dizes sobre mim não pode se frustrar
    Venha em meu favor
    E cumpra em mim teu querer..`

    Deixo esta canção para trazes paz ao seu coração.. que Deus esteja contigo que te dê sabedoria e força, estou orando por vc.
    Beijos meu anjo!!!
    Tamojuntas!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do blog...

    Posta mais...rsss
    Depois eu volto.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandrinha, seja bem vinda!

      Amanha tem um post programado para tarde, pode passar aqui!
      Grande beijo

      Excluir
  3. È claro que a gente se identifica Mari!
    E sempre o coração apertado também... e os olhos se enchem de lagrimas...
    Um dia... meu atual namorado perguntou se eu continuaria frequentando o Nar-Anon, já que não havia mais na minha vida nenhum dep quimico, respondi: "Vou continuar indo sempre... pois a minha identificação não é "ter um familiar adicto" e sim "me sentir afetada pela dep quimica de algum parente ou amigo querido"...
    Só quem já se sentiu afetado pela drogadicção é que sabe o quanto nossas histórias nos fazem sentir identificação umas pelas outras!"
    Te amo MAri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso!

      Mas a DQ tem seu lado bom, nos ajuda a nos conhecermos em outros aspectos, tiramos ás máscaras, mostramos quem realmente somos.
      E fica mais fácil de nos tratarmos, não que todo mundo tenha que ter um DQ na sua vida, mas as vezes não conseguimos enxergar os nossos próprios defeitos, e nos escondemos atrás de diversas máscaras.

      E a real história é que podem se passar anos, mesmo que vc não esteja com aquela pessoa, vc sempre irá lembrar o que droga lhe causou. Tudo ficou registrado, é louco isso né.

      Também te amo muito Ciciii

      Excluir