sexta-feira, 2 de março de 2012

Desanimada

Quando eu chorar, vou me lembrar que até aqui Tua mão me sustentou
Digo a minha alma: espera em Deus, pois ainda o louvarei, eu o louvarei
”. (Bruna Karla – Quando Eu Chorar)
Bem desanimada hoje.
Ontem cheguei em casa, um cheiro horrível de cigarro no meu quarto, lata de cerveja da mesa do computador, aff! Furacão 2000 passou por ali né.
23:00hrs  eu limpando, passando pano para tirar o cheiro de cigarro e cerveja.
Ontem parecia meu limite, voltei da faculdade bem pensativa, e querendo conversar com o amado, que é o único que eu consigo me abrir e chego em casa encontro isso, meu Deus!
Balde de água fria é pouco.

E ainda para ajudar, existem pessoas que sabem ser portadoras de má notícia.
Ninguém me liga falando, “vamos ao shopping, tomar um café?”, “vou viajar, quer ir junto?”, “ganhei um dinheiro, quero te ajudar(quase impossível)”, não, só me liga para reclamar, para xingar, para querer dar ordem, para falar o que tem que comer, que horas tem que acordar!
Gente, ele não é mais criança, o homem só tem 33 anos, e sabe fazer de tudo, eu é que não vou ficar controlando, ele sabe das obrigações dele, ele que cumpra, porque eu já cumpro com as minhas.
E a mãe trata como se fosse um bebezinho, isso quando ele está em casa, quando está na casa dele, deseja a morte e tudo. Tenha a santa paciência viu.
Ah, confesso que eu já estou esgotada! Nem tanto pela dependência química, mas me irrita absurdamente esse controle da mãe dele. Liga para xingar, liga para reclamar, liga para falar que quer que ele morra, liga para tudo, menos para me dar uma notícia boa; e ainda por cima, pela minhas costas fica me xingando.
Não dá. Me liga para falar que o marido está muito amoroso, e depois liga quando ele está distante, Santo de Deus, define alguma coisa, define o que você quer para sua vida, que eu já estou de saco cheio.

Desculpem queridos e queridas, mas hoje é o dia do desabafo.
Para de me ligar, de me mandar mensagem, não gosta de mim, não vai com a minha cara, porque fica atrás de mim então? Só porque eu ajudo seu filho?!? Eu o ajudo, e não você, e não é por interesse, é por amor mesmo.

E agora de manhã, meu pai veio discutindo, gritando comigo o caminho inteiro. Difícil.
E hoje eu achei que seria um dia bacana, porque é aula de EAD (educação à distância na facul), então tenho a sexta-feira livre, mas, adivinha o que o amado fez de manhã?!?
E a maravilhosa da mãe dele, invés de me ligar, falando viu, irei para SP, ore por ele, não, já vem enchendo o saco, mandando mensagem falando que está usando, e etc.
Gente, quer ser perturbada, seja, mas deixa quem quer viver em paz quieto.
O que adianta me ligar? Eu não irei trazê-lo a sobriedade.
Antes, eu até queria saber como ele estava, se estava usando ou não. Agora eu não quero saber, se usou, deixa ele, não quero saber. Ele mesmo não está em condições de ficar conversando. E eu só iria me sentir mal, ficaria pensando um milhões de coisas ruins.

Eu sou muito reservada, eu preso muito pela paz, pela minha paz, se você não quer viver em paz, é uma escolha sua, o que eu posso fazer.
Mas tudo ela se intromete, tudo ela quer saber, como foi pago, dá onde saiu o dinheiro; se ele usou, quer saber o quanto usou, quanto gastou, onde comprou, se bebeu, se cheirou, que desnecessário, já basta a pessoa está ruim, atormentada porque a “brisa=alucinações” de cocaína causa um certo tormento, do tipo de achar que você está sendo perseguido, que tem alguém querendo te pegar, que alguém vai entrar na sua casa para te matar, é mais ou menos esse tipo de alucinações, ai ela quer saber de tudo isso e ajuda falando que vai morrer! Por favor, cala a boca!
Às vezes eu acho que eu sou radical, às vezes eu acho que eu tenho um gênio ruim, muitos “achismos”. Mas também, se eu não for radical em certos pontos, creio que vira uma festa.

Sempre fui muito educada, muito amorosa, mas tem hora que cansa sabe, a ingratidão das pessoas, não do amado, que ele não tenho nem o que reclamar, só a maldita droga que estraga qualquer coisa. Não faço as coisas para o amado esperando algo em troca, faço porque o AMO, e amo muito, mas tem hora que a situação parece ser caótica demais, tem hora que eu não consigo enxerga algo diferente.
Nós sempre estamos dispostos a mudanças, e é difícil se adaptar as pessoas que não querem mudar, que gostam de ser assim e querem mudar outras pessoas.

Ontem eu chorei muito no banho, pedi muito a Deus para me dar a direção, porque tem um momento que esgota nossas energias boas, esgota nossas forças.
Enquanto a adicção dele, não posso fazer nada! É a escolha dele usar no dia de ontem, de hoje, é a escolha dele; amanhã eu não sei como será, e amanhã a Deus pertence.

Algo que uma companheira (Bia) falou, que já pensei isso também, às vezes tenho a impressão que ele tem prazer de usar, tenho isso como uma traição, e já falei isso pra ele.
Porque ele já me trocou muitas vezes por um pino de cocaína, eu já falei para ele, que vergonha, “você vai deixar R$10,00 te dominar”.
Mas nunca saberemos das lutas deles; às vezes não entendemos nem as nossas.
Aqui eu desabafo, que eu sei que vocês já sentiram ou infelizmente ainda sentem essa dor, mas sabe que tem horas que temos uns lapsos de loucura, que se não nos controlarmos, saimos fazendo besteiras.

Hoje eu queria sair, ir na igreja, tomar um suco ou açaí, que está muitoooo quente.
Hoje eu queria curtir a companhia dele, pois sinto muito a sua falta, pelo fato de trabalharmos em horários diferentes, e hoje é sua folga. E poxa vida, como sinto sua falta!
Hoje eu queria colo, amor, carinho.

Hoje, eu só quero que o dia termine bem!
Só isso.

8 comentários:

  1. Oii Mariii...
    Bom, é complicado por que quando o Dependente Químico esta na ativa fica difícil de por limites nele, pois ele não se importa com nadinha, mais mesmo assim, eu acredito que depois de umas horas após o uso ele fica consciente de alguma coisa ou no seu caso da bagunça que sempre faz após o uso, pois consciência é sempre consciência de alguma coisa, ou seja, ele pode esta consciente de pequenas coisas após o uso.... Ele é um Dependente Químico mais nem por isso (eu acredito) pode-se livra-lo das responsabilidades, pois tem a questão da consciência como eu disse acima. Quanto a questão da sua sogra ela também esta adoecida, e pode até não esta se percebendo enquanto doente. Essa questão de ter a sensação que esta sendo trocada pela droga, eu também sentia isso quando o meu amor usava, nesse caso eu acredito que o que se deve ser feito é se manter serena (cuidar-se de si mesma), é pelo menos tentar ficar serena, pois ele esta no vicio e quando esta dessa forma o dependente se fecha, se esquece do mundo, de tudo.
    Faz bem desabafar viu, o desabafo nos alivia, acalma. Depois desse desabafo tenta se manter serena.
    Bjus. Fica bem e qualquer coisa estou por aqui tá? (Desculpas se eu falei alguma coisa que você não gostou em meu comentário).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii P, magina, não falou nada não!
      Aqui vcs tem toda liberdade de expressão e vc falou a mais pura verdade.

      É complicado, eu não sei se é a carência que me deixou assim, se é a adicção, se é minha sogra..
      Mas fico triste, porque queria estar com ele, mas...
      Ela sempre é..hahaha
      Ela mesmo sabe que está doente, chegou a ir nos grupos, mas fala que aquilo não resolve nada, que é tudo balela, que só ela sabe o que ela passa, então fica difícil.
      E eu falo que eu estou de saco cheio, porque ela não dá um tempo, é aquela pessoa que liga no seu celular, se vc não atende, ela liga 2,3,4,5 vezes, manda mensagem e depois liga de novo e é muito incoveniente isso.

      E, hoje eu vou ficar por aqui, vou deitar e dormir que é o que me resta fazer!
      Mas agradeço pelo seu apoio e muito obrigado por poder contar com vc, me ajuda bastantee, brigadão!!!

      Bjoos

      Excluir
  2. Mari, minha querida, sinta-se abraçada, sinta-se beijada, sinta-se amada!!!
    Eu entendo o seu desabafo, que mãe Co ele tem também heim? Vou te contar, acho que seria de utilidade pública que fosse divulgado nos meios de comunicações, a importância da família se tratar...
    Eu admiro a sua serenidade, mesmo estando no olho do furacão, você está se saindo muito bem!
    Estou aqui... Beijos e desabafe sempre que necessário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Gi, brigadão amiga!
      Senti seu afago, e é muito bom me sentir querida por todos vcs nesse momento de furacão!

      Eu também concordo com vc, que co-dependência deveria ser divulgado igual AIDS, câncer, qualquer outra doença.

      Muito obrigado mesma pela ajudaa
      Beijooo

      Excluir
  3. Mari querida,desabafe mesmo.
    Mas não permita que sua sogra se meta tanto assim, simplesmente não atenda o telefone, eu fiz isso com a minha.
    Não deixe ninguém se meter sua carga já é bem pesada.
    Deus continue dando-lhe a serenidade de sempre.
    SPH.
    BJs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida fênix.
      Mas já fiz isso de não atender, ela liga mil vezes, manda mensagem, email, manda qualquer coisa para poder falar com vc, como se ela fosse a única pessoa na terra que tivesse problemas com um filho adicto.

      Mas eu estou fazendo o possível para me esquivar disso, porque isso me deixa mal na maioria das vezes.

      Antes eu não a suportava, hoje até conseguido suportar, e até aprendi a gostar dela, mesmo ela fazendo tudo que faz, mas tem hora que não dá.

      Amém, preciso de muita serenidade.

      Grande Beijo
      E obrigado pelo apoio.
      SPH

      Excluir
  4. Querida Mari, antes de qualquer coisa, saiba que não estás sozinha. Estamos juntas! Força, querida!
    Em segundo lugar, as pessoas só invadem nossa vida até onde permitimos. Que tal falar tudo isso à sua sogra, de uma forma cordial? Imponha limites àquilo que te faz mal. Ou simplesmente não atenda ao telefone. Enfim, não és obrigada a aguentar essa carga de sentimentos negativos.
    Quanto ao seu bem, talvez ele até sinta mesmo o prazer da droga, mas, com certeza o vazio e a dor que vêm depois são muito, muito maiores. É ela (a droga) quem está no controle, não ele. Ele está doente, e deve buscar tratamento para a sua doença, pois, sozinho é muito difícil se recuperar.
    Enquanto ele está lá, vá à igreja, querida. Tome o seu açaí. Faça o que te deixa feliz. Se fortaleça... Se ame! Viva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim querida Poly, preciso fazer isso!
      Impor limites!
      Estou pensando em até falar com o meu sogro, que ele é mais sereno, e avisá-lo, que se for para ficar reclamando, se lamentando, não irei mais atender os telefonemas.
      Ok, se ele não estiver bem, só posso orar e entregar nas mãos de Deus, porque trazê-lo a sobriedade, jamais conseguirei né.
      E também não posso me anular também, por contar de uma recaída.
      Obrigado pelos conselhos! Peça força e apoio, me ajuda muitoo.
      Grande beijo

      Excluir