segunda-feira, 26 de março de 2012

A volta para casa



Gente, que calor é esse né?!?
Aqui em Campinas está muito calor.

Graças a Deus, meu amado segue bem mantendo sua recuperação, limpo só por hoje, engordando, e isso é uma vitória!
Porque um dependente químico ativo tudo muda na sua rotina, e principalmente a aparência e o peso, e graças a Deus o amado está voltando a sua forma normal, e retomando suas atividades.
Hoje cedo ele foi ao boxe.
Não sei se falei para vocês, ele está se tratando com homeopatia, um é para tirar ansiedade e o outro para ajudar a parar de fumar.
Tem tido resultado, porque ele fumava bem, não sei dizer quantos cigarros por dia, mas nos últimos dias, diminuiu muito a quantidade de cigarros fumados (segundo ele).
Sei que ele está fumando no máximo 3 por dia. Hoje ele só fumou 1 e meio.
Fora isso, ele toma um polivitaminico e um outro que é só Omêga 3.

Mas vou falar sobre algo que creio que muitas de vocês co-dependentes irão se identificar, a volta para casa.
Quando os nossos amados saem, seja para o trabalho, supermercado, NA, alguma atividade sempre pensamos na volta.
Será que vai ter uma recaída?
Ainda mais quando passa do horário, ou se tem um horário de costume, também passa.
Gera uma mistura de sentimentos, com ele vem o principal, a ansiedade, a ansiedade de querer saber o que realmente está acontecendo.
Gente, eu passo por isso. Por diversas vezes me peguei pensando na “possível” recaída, é muito ruim isso, porque é a co-dependência se manifestando de uma maneira sutil.

E é algo que temos que tratar em nós mesmos. Se eles porventura vierem usar, é a escolha deles, e infelizmente não poderemos impedir.
Mas como entender isso?
Como diz a oração da serenidade, a única pessoa que podemos modificar é a nós mesmos!

Hoje, antes dele chegar, ele me ligou falando que estava há uns 10 minutos daqui de casa, e pediu para eu bater abacate com leite para ele, ótimo, já aprontei tudo.
Só que passou 10, 20, quase 30 minutos e nada dele chegar.
E confesso que passou pela minha cabeça o maldito pensamento “será que aconteceu alguma coisa”.
Ai, em pensamento mesmo eu pedi para Deus cuidar dele, mesmo se ele estivesse fazendo alguma coisa de errado, mas nem encanei.
Continuei o que estava fazendo, e não passou muito tempo, ele chegou, e quando me viu abrindo o portão me deu um sorrisão!
Cumprimentei-o com um beijo, daí ele disse que parou na rua de trás para ver uma manicure para mim e disse que quer fazer a unha dele também, que estava suja! (Vergonha máster).

Como é difícil, e como já falei aqui, e repito mais uma vez, não quero ser assim!
Eu fico triste por agir assim, só eu sei disso, ele não sabe. Mas mesmo assim, me sinto triste.
Eu o recebi, mas fiquei pensativa na minha atitude.
Me sinto envergonhada!

Eu quero ser diferente, não quero ser uma eterna paranoica quando ele sair, quando ele se atrasar.
Quero continuar vivendo um dia de cada vez. O relacionamento com um adicto é assim, às vezes tem altos e baixos, às vezes são estáveis ou instáveis; mas o segredo é como nós agimos diante dessas situações.
E agora que ele está bem, e eu não quero agir assim.

Esses dias sua mãe ligou para saber como ele estava, disse que estava bem, e sua primeira pergunta foi se estava usando, respondi que não, que graças a Deus está conseguindo se manter limpo.
Ai conversamos sobre outras coisas, e ela pediu para ele ligar para ela.

Dei o recado para ele, até comentei a sua pergunta, e ele falou que ela sempre lembra da droga; eu respondi, relaxa, que co-dependente também pensa em droga, até mesmo mais do que o próprio DQ.
E hoje, eu me vi pensando nisso, que vergonha.

Espero que um dia isso passe.

9 comentários:

  1. Oi querida Mari.
    Tudo que acontece com vc é normal,ainda está muito cedo para sua co-dep estacionar.
    conforme vc vai percebendo que ele está se empenhando em manter-se limpo, vc vai adquirindo confiança e aos poucos estaciona sua doença.
    Fica com DEus.
    SPH.
    Tamujuntas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém Fenix, vou guardar essa palavras no meu coração, como uma motivação para sempre me lembrar!

      SPH
      Tamujuntas

      Excluir
  2. relacionamento com um adicto é assim, às vezes tem altos e baixos, às vezes são estáveis ou instáveis;

    Querida quando Vivemos com um adicto, esquecemos como é namorar com um não adicto, e é exatamente a mesma coisa...eles ficam bravo, eles ficam triste, eles ficam feliz é tudo igual...relacionamento é assim mesmo, seja menos exigente com seu amado ele é um ser humano antes de ser um adicto e tem momentos..todos temos!!!
    sempre que meu marido tava triste, bravo, irritado eu pensava quer usar droga, mas a um tempo venho me policiando quando esses pensamentos vem eu substituo por eu tbm fico triste, brava, irritada e não sou adicta dai pego mais leve com ele.

    Mas é isso mesmo querida o importante é querermos melhorar sempre!

    Estamos Junta companheira

    "Maria"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está certissima companheira!
      Às vezes nos esquecemos que são pessoas, que tem vontades.

      Tamu juntas!!
      Bjoos

      Excluir
  3. Oi Mari, pratique o desligamento... sempre!
    O desligamento com amor, não pense no desligamento, pratique-o...
    Procure ocupar seu tempo, ocupar esse tempo que você perde olhando de minuto em minuto os ponteiros do relogio...
    Uma coisa que me ajudou muito nos tempos de "espera" foi fazer artesanato.... eu me distraia tanto que só ia perceber que meu ex tinha atrasado 30min ou 1hr depois que ele havia chegado... não ficava anciosa, pelo contrario... ficava serena....
    Te amo... essas sensações vão diminuindo com o tempo... não de muita importancia a isso.... mude o foco... te amo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Cici, tenho que fazer isso, mudar o foco!
      Eu já tinha lido esse post, vou lê-lo novamente, para praticar.

      Amoo vc querida
      Bjoos

      Excluir
  4. http://modificaramimmesma.blogspot.com.br/2010/06/o-desligamento-com-amor.html

    ResponderExcluir
  5. É complicado neh amiga... eu sei bem como é isso
    nas vezes que o meu amor saia de resso e vìnha pra cá, eu sempre ficava preocupada quando o onibus atrasava, quando ele saia pra ir no grupo sem mim...
    Mais com o tempo tenho certeza que você vai aprender a lhe dar com isso bem...


    Um beijo! Boas 24hs..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu creio que sim..
      Na verdade é algo fácil, mas que eu ainda não sei lhe lidar, e eu quero aprender, não só por ele, mas por mim.

      Beijooos

      Excluir