terça-feira, 22 de maio de 2012

Está tudo bem!


Boa tarde!
Terça-feira é um dia que eu não gosto muito, não sei porque..rs

Estou com um pouco de dores, mas irei ao médico amanha e veremos o que ela irá receitar para tirar essas dores. São bem incomodas.
Minha mãe teve mioma, tinha dores, mas segundo ela, não da maneira que eu tenho.

Ainda no sábado, eu liguei para o pastor que nos acompanha e pedi uma oração. E suas palavras foram muitos sábias, dizendo que relacionamento é algo difícil, mexe muito conosco, mas era para eu não me desesperar que TUDO está no controle de Deus.

Para ajudar, chegou uma encomenda dele, como ele voltou as suas atividades físicas, tem comprado alguns suplementos. E uma vitória, ele parou de fumar! Graças a Deus.
Ai eu liguei para avisá-lo que sua encomenda havia chegado, e quando foi por volta de 21:00 ele passou em casa para pegá-la.

Perguntou como eu estava, e eu havia esquecido o pós-barba no ármario do banheiro, também entreguei. Dai ele falou, entregou tudo, não tem mais nada, eu afirmei que sim.
Conversamos um pouco e ele foi embora. Me deu um selinho somente.

Ai entrei em casa, comecei a chorar, por ter visto ele, por pensar em coisas que eu poderia ter falado ou escutado. Dai eu parei, fiz uma oração e entreguei nas mãos de Deus.
Disse que eu não gostaria que as coisas fossem assim, que fosse diferente, mas que Ele fizesse o melhor para nós.

Comecei assistir uma pregação, fiquei jogando, nisso eu recebi uma mensagem dele, perguntando se eu estava acordada, se eu queria dar uma volta para conversarmos. Disse que sim.
Ele passou, entrei no carro, e ele disse que estava "embarulhado", pois não queria ficar daquele jeito comigo, disse que me ama e que estava se sentindo mal com tudo isso.
Dai eu falei, que eu estava triste, pelo fato dele não me ligar, de pouco se importar comigo, que nesse momento que eu estou passando, eu só espero uma ligação dele.
E ele disse que também esperou uma ligação minha, e não entendeu o que aconteceu para eu não ter ligado.
Ai eu falei tudo o que estava sentindo, ele escutou numa boa.
Falou que não me ligou pelo fato de eu não estar bem, e estava com medo da minha reação, que na cabeça dele eu não havia gostado dele ter ido para casa dele.
Eu respondi, que eu aceitei numa boa, que realmente é cansativo, é longe para o pai dele sair de lá onde eles estão morando, ir para minha casa e depois para o aeroporto, mas não gostei da maneira que ele falava das coisas, que eu sei que existe um contraste enorme de onde moramos, mas que nem por isso era necessário falar; e falei também que não gostei dessa necessidade imensa da mãe dele querer as roupas.
Ele falou que eu não vou mudá-la, eu concordei, mas falei que tudo tem limite, e que não é o jeito dela que tem que ser as coisas.
Ele apenas concordou e perguntou se eu ainda o amava. Eu respondi que sim, e fiz a mesma pergunta; ele falou que eu não tenho noção do quanto ele gosta, me ama e que não quer ficar longe de mim, depois disso me abraçou.

E disse mais, que esse tempo longe, foi bom, pois ele sentiu minha falta. Ai eu falei para ele, que também, mas que eu não quero mais que isso aconteça, independente de como o outro estiver, firmamos um acordo de um ligar para o outro.
Ai ele disse, que a partir daquele dia, um ia prometer para o outro fazer de tudo para o nosso relacionamento melhorar, para que cada dia estarmos mais juntos e próximo um do outro, para que isso fortaleça nosso amor e relacionamento.

Depois disso, comemos um lanche e fomos para casa. Ele dormiu lá, no domingo a noite foi no culto. E graças a Deus, tudo está bem.

Eu estou triste, chateada por conta do trabalho, é desanimador você fazer inúmeras coisas e ainda falarem que você está fazendo com má vontade, que seu serviço é ruim.
Isso tem mexido muito comigo, e até minha mãe falou que isso afetou minha saúde.
Estou preocupada, a empresa é um ambiente legal, mas é muita manipulação, fofoca, e as coisas chegam tão distorcidas que ninguém procura saber da verdade, é totalmente um telefone sem fio.
Essa semana eu estou mais calma, mas, está nas mãos de Deus.

Só passei para atualizar e dizer, que graças a Deus, está tudo bem em relação ao amado. E estou orando para que o trabalho se acerte, porque é muito ruim trabalhar num clima / ambiente desses.
 



sábado, 19 de maio de 2012

Coração doendo


Sabe, às vezes eu queria ser menos emotiva, gostaria de não me apegar tanto a pessoas.
Gostaria de ser dura, de ser fria, mas não consigo.

Contínuo sendo preocupada com que amo, me importando e sofrendo com suas atitudes. Mesmo tentando ser rude, não consigo.

O amado não recaíu. Mas está tão diferente comigo, e isso me dói.
Esses dias tem sido muito tenso para mim, os problemas e as tensões no trabalho só tem aumentado, e meu stress lá em cima. Graças a Deus ontem eu já estava mais calma, mas desde quinta-feira (10/05), eu não estava bem.
Acabei tratando minha mãe de uma maneira que não merece, mas o amado, eu até que fiquei tranquila, pois quando ele estava aqui em casa nos víamos pouco.

O almoço foi bem legal. O restaurante que havia reservado não deu certo, naquele dia eles não estavam servindo à la carte, mas ainda bem na região que tinham vários e acabamos almoçando num restaurante ótimo.

Mas eu lembro que eu fui mostrar meu perfume novo para ele, minha sombra, ele me deu uma resposta tão atravessada, que ultimamente não está reparando em nada e que nem vai reparar, que está estranho e pretende continuar daquele jeito por um bom tempo.
Fiquei bem sentida com a resposta dele, como é ruim ser "sensível", porque com essa resposta, as lágrimas escorriam, mas ainda bem que consegui disfarçar.
Antes disso, sua casa já havia ficado pronta, e pelo fato do acidente, quem estava levando ele para trabalhar era o pai. Como minha casa já ficava longe da dele, agora ainda mais, ele foi para sua casa. Até ai, tudo bem, porque realmente não tinha condições.
Mas antes disso, eu notei que ele estava falando muito as escondidas com a mãe dele, e isso me deixa intrigada, porque eu sei que ela não gosta de mim, e já fez a cabeça dele uma vez. 

Ele foi para sua casa essa semana, na terça-feira. Eu não fui trabalhar na segunda e na terça, pois o mioma que eu tenho na trompa esquerda resolveu doer, é uma dor insuportável, mas consegui marcar com a minha médica para essa semana.
E eu não sei, parece que subiu para cabeça dele essa casa nova. Eu sei que o meu padrão de vida com a dele é muito diferente, sei que nem que meus pais trabalhasse muito, conseguiríamos construir uma casa nos padrões igual a dele.
O condomínio tem tudo, e isso eu já sei. Porque toda vez que eu encontrava com a mãe dele, ela só falava da casa e das coisas que ela estava comprando.
Eu me sinto mal com isso, porque eu já sei de tudo isso, e não se faz necessário ficar falando.
Sei lá, das últimas vezes que eu falei com ele, ele só falava da casa, porque a casa tem isso, o condomínio tem aquilo, porque tem muita coisa para arrumar. Confesso que eu fiquei mal, porque eu moro no pé de uma comunidade (favela), já fui assaltada na esquina de casa, infelizmente é isso que o bolso do meus pais comportam, e se ele ficou aqui, e disse que se sentia bem, porque ficar fazendo isso agora.

As pessoas falam que padrões sociais não pesam em um relacionamento, mas eu estou mudando de idéia. E outra, que a mãe dele sempre falou isso, como ele vai namorar alguém que mora no pé da favela, que não tem isso, aquilo...
Ontem, foi aniversário dele, e mesmo ele não gostando de datas comemorativas, eu queria ficar com ele. Sua resposta foi, "fica cada um na sua casa, eu vou ficar na minha, você fica na sua, eu não vou fazer nada mesmo".
Ai eu perguntei, pelo menos no sábado você vem aqui para ficar comigo né. Ele respondeu que não, e ainda pediu que eu entendesse, pois ele tem que arrumar a casa, mesmo ele chegando 18:00horas, ele prefere ficar em casa.
Disse que só viria aqui, se tivesse culto no domingo.
Dai eu questionei, "poxa vida, você só tem o final de semana para ficar comigo, o que custa?" . Sua resposta foi "eu gostaria que você entendesse que eu quero ficar em casa, que eu preciso arrumar, não vai dar para eu ficar com você".
Eu disse "tudo bem, eu vou entender".

Fora isso, ele não me liga desde quarta-feira..
E quando ele chegou na sua casa, ele esqueceu de pegar algumas roupas dele aqui. Ele me ligou para falar que era para eu separar tudo que era dele, pois ela estava querendo e na mesma noite iria buscar.
Ai eu falei "noooooosssa, vai perder a perna né. Mal você chegou já está querendo suas roupas. Eu arrumei a sua mala (porque na segunda ela trouxe uma mala, porque ele pediu para colocar as coisas dele), e o restante era para você fazer, se você não fez eu não posso fazer nada".
E ele responde que eu tenho que entender a mãe dele, pois eu sei do jeito que ela é, que na cabeça dela eu vou fazer macumba para ele. Até porque se a gente terminar hoje, não tem o porque você não entregar.
Dói sabe, ouvir isso. Eu falei para ele que eu não queria ficar, mas se ela tem a necessidade de vir buscá-la no mesmo dia, tudo bem.
Mais tarde ele me liga, e coloca ela para falar comigo, que quem tomou a decisão de ir para casa foi ele, que ele realmente estava certo (como se eu tivesse questionado porque ele foi), e ainda reforçou que queria as roupas dele até as que estavam no varal.

Quando foi na quinta de manha, eu tonta, mandei uma mensagem para ele desejando um bom dia. Ele me liga, dizendo que estava um trânsito (que estava com a mãe dele), e que ia passar em casa para pegar as roupas.
Não tinha um outro horário melhor, justo no horário que eu estava saindo para trabalhar. Ai tinha algumas roupas no varal, ele disse que poderia deixar aqui, que depois ele pegaria.
Eu respondi que não, que sua mãe também pediu as que estavam no varal, então por isso ele ia levá-las.
Depois disso não nos falamos mais.

Ontem foi aniversário dele, liguei bem cedinho, desejei muitas felicidades, sucesso. Ainda falou que achou que eu não iria lembrar. Eu falei engano seu, eu penso muito em você, acha mesmo que eu não iria lembrar.
Ele responde, não sei né.

Eu estou achando que eu sou errada da história para ele me tratar assim ou não sei. Eu fico triste, porque eu sempre pensei, ajudei-o quando sua mãe no auge da sua dependência ativa se esqueceu, e só pensava na morte dele como solução.
E hoje ele faz isso, me trata como opção!
Eu sei que sua casa é mil vezes melhor do que a minha, mas não é motivo para agir assim comigo.

Eu não vou ligar para ele, nem quero saber se ele vai me ligar. Hoje acordei era 5:00hrs da manhã, morrendo de dores no mioma, então a minha opção é ficar em casa com dor.
Eu sempre falei para ele, que eu também preciso dele, que ele é meu companheiro, pois os amigos da ativa eu não tenho mais, e as que eu tenho, estão tudo namorando, saindo com os seus parceiros. E falei para ele, não deixa sozinha, não deixa de me ligar, eu só tenho você para sair de final de semana.
Ele nem se importou. Repito, hoje eu não sou sua opção.
E estou sofrendo, porque fui boa, porque falei dos meus sentimentos, dos meus medos. E realmente confiei nele, acreditei que ele iria ser diferente comigo, mas não.
Dói, dói porque eu não digo em todas, mas em boa parte de suas crises eu estive presente em sua vida.
E hoje é isso que eu recebo, a indiferença, nenhuma ligação para saber como eu estou, muito menos mensagem.

Antes eu desejava que o final de semana demorasse para acabar, só para podermos ficar juntos. Hoje eu torço para ele passar depressa.
Não sei se sua mãe está em envolvida, não sei o que está acontecendo. Só sei que está diferente.
O filme dessa semana e outras coisas que já aconteceram, sempre passa na cabeça.
Está nas mãos de Deus.

Eu só queria ser lembrada, ser tratada com carinho, receber um elogio. Essa coisa de mulher sabe.
Mas...

Como a foto acima mostra, meu coração está apertadinho. Estou tristinha, e só peço a Deus que isso passe logo.
Só por hoje.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Pressentimento (Ruim)


Ficamos felizes quando tudo está bem, não é verdade. Mas algo não estava tão bem, eu sabia que não.
Ontem eu liguei para ele, para falar de algo que é de nosso interesse, ele queria desligar logo.
Fato que ele tinha usado. Continuei falando, e ele tentou desligar novamente, nem me importei. A hora que eu fui desligar, ele estava mudo, e de repente falou "então tá, um beijo, te amo, tchau".

O seu te amo  foi tão vazio, que eu sabia que ele tinha usado, mas eu nem me importei, tenho tantas coisas para me importar, do que ficar me lamentado porque ele quis usar mais uma vez.
Egoísta, eu? Jamais. Sabe por que? Porque ele está sendo egoísta com ele mesmo, está pensando só em sua vontade, esquecendo da sua realidade, esquecendo de sua família, namorada, compromisso para se deixar levar por uma doce ilusão.

No telefone disse que estava na sua casa, que não tinha ido no boxe, mais uma coisa comprovando que havia usado.

Chegando em casa, tinha a esperança de não encontrá-lo, mas ele estava lá, dormindo. Nem entrei no quarto para comprovar. Me arrumei e fui para faculdade.
Cheguei era 21:40, horário que era para ele já ter jantado e estar arrumado para ir trabalhar. Adivinha o que ele estava fazendo? Dormindo, irresponsável.
Ai chamei ele, disse que ia com o carro dele. Chamei somente aquele vez e não chamei mais, eu que não vou ficar me importando se vai chegar atrasado, se vai ficar sem comer, essa foi a escolha dele do dia, então sofra as consequências bonitão!

A minha mãe veio perguntar o que estava acontecendo, se ele estava bem, disse que não sabia. Ela disse que eu deveria saber, perguntou se brigamos, eu disse que não, não havia acontecido nada e que eu ia dormir, pois estava cansada.
Dormi, ele acordou lá para 22:30 - 23:00, detalhe seu horário de entrada é 22:00, no máximo 23:00, será que ele chegou atrasado?
Quanta irresponsabilidade...

Quando foi hoje, 04:30hrs da manha, quem aparece cheirando bebida? O próprio. Conseguiu chegar  no grau máximo da irresponsabilidade. Chegou atrasado, saiu antes do horário. Era para ele trabalhar até mais ou menos às 08:00 horas da manha, e ainda por cima como se nada tivesse acontecido.
E veio me dar um beijo de boa noite / bom dia! Pelo menos isso.

Depois disso tive vários pesadelos, escutava ele gritando, batendo coisas, dai acordava assustada, e não era nada, depois senti algumas dores no local da cirurgia que eu fiz em fevereiro, nossa, foi horrível essa noite.

Recuperação tem para quem quer. Se ele quiser vou apoiar, se ele não quiser, não posso parar. Nem chorei, nem me surpreendi sabe.
É impressionante que usou droga, a inteligência chega a zero e a responsabilidade também. Não sei o que ele quer para vida dele. Se ele engatar essa crise, e sair gastando o dinheiro que ele guardou, eu não vou ajudá-lo.
No momento em que estamos, passando por essa dificuldade do acidente, os problemas do documento do carro e da CNH dele, não é momento de ficar fazendo "baladinha", poxa vida, segura onda meu anjo. Eu sei que é uma doença, mas se está conseguindo se manter limpo há algum tempo (eu não sei há quanto tempo ele estava limpo, porque eu não me preocupo mais em ficar contando), deu vontade de usar, procura ajuda, não é feio pedir ajuda.
Essa mania de pensarmos que conseguimos as coisas sozinhos, não, não conseguimos. E já cansei de falar para ele, tentação não se enfrenta, se foge!

E não vou falar nada para ele, vou ser indiferente, assim como ele fez comigo ontem, nem deu atenção para o que eu falei para ele.
Mas tudo bem, vai passar!

SPH!
E hoje é dia de manter serenidade.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Eu estarei ao seu lado



Oláááááa, tudo bem com vcss ??
Me perdoem pelo sumiço, mas os últimos dias de entrega de trabalho foram master corridos, mas graças a Deus consegui média das matérias que estavam em abertos, agora só falta mais 3, ufa!

O amado, graças a Deus está bem, tem se mantido bem, mas muito nervoso e preocupado por conta do acidente.
Essa semana chegou uma correspondência, chamando-o para uma conciliação, que nada mais é para ambos chegarem num acordo. Está nas mãos de Deus, pois sabemos que na posição que o motoqueiro caiu, já dá para saber que ele está errado.
O dificil é ele (motoqueiro) aceitar isso, mas amém, estou procurando não me estressar.

E falando em se estressar, estou muito chateada com as coisas aqui no trabalho, aindo muito nervosa, o meu próprio chefe mentindo sobre mim na frente dos diretores, é demais né. E eu desmentido, é claro, mas ninguém deu ouvidos, estou tão triste, porque a tal "apunhalada" vem da pessoa que você menos espera.
Eu sempre me dei muito bem com meu chefe, ele é uma ótima, tenho uma relação direta com ele, mas nunca iria esperar isso dele, tirar o dele da reta e colocar o meu. Ele sabe que está errado, e por que fazer isso?

Ontem cheguei da facul, contei tudo para o amado, ele só falava calma, e partilhamos da mesma opinião: UM MOLEQUE !.

Só Deus, só espero que essa maré ruim vá embora o quanto antes, que minha vida e do amado melhore por completo.
Graça a Deus nosso relacionamento está bem, claro que ficamos triste por conta do carro, mas amém, antes o carro, do que a vida.
E estamos batalhando.

Uma novidade, esse mês é aniversário dele (do amado), e domingo iremos comemorar num restaurante bem bacana. Graças ao acidente, nossos pais estão se aproximando.
Fico feliz por isso, apesar de termos padrões de vida diferentes, acredito e tenho certeza de que o carater de uma pessoa não se faz pelo dinheiro e sim pelo que ela é, pela suas bases familiares, e eu desejo do fundo do meu coração um dia me dar bem com a minha sogra, desejo que possamos ser felizes, com defeitos e qualidades.
E mesmo com todos os problemas que uma vida normal tem, ainda possamos encontrar motivos para sorrir!

A cada dia que passa eu descubro o quanto eu amo o meu amado, essa transição que ele está passando tem feito muito bem, ele está amadurecendo, tem se tornado responsável, antes era muito difícil poupar dinheiro e hoje está poupando, e eu louvo a Deus, que um dia eu sonhei isso, eu orei por isso, VOCÊS oraram por isso, e no tempo de Deus as coisas foram e estão acontecendo.
É por esses motivos e outros que eu quero e vou continuar sorrindo!