domingo, 17 de junho de 2012

Amor próprio


Será que eu me amo realmente?
Ou eu deixei de me amar para amar outra pessoa?

Essa é uma pergunta que eu já fiz a mim mesma inúmeras vezes, se eu estou me anulando demais, esquecendo de mim para ver a felicidade de alguém.
E um relacionamento com um adicto infelizmente pode ocorrer de você não receber o amor que você tanto espera.
O adicto ele tem muitos altos e baixos. Para alguns mais baixos, outros mais altos. Demora algum tempo para encontrar o seu ponto de equilíbrio, e mesmo encontrando o seu ponto de equilíbrio haverá momentos de instabilidade.

O problema é muitas vezes fazemos alguma coisa esperando algo em troca, e infelizmente, no mundo em que vivemos, iremos nos decepcionar.
Tem uma reflexão do Nara-Anon que nos ensina a não criar expectativas com os nossos queridos, porque todas vezes que criamos, estamos sujeitos a frustrações.

E onde devemos depositar nossa confiança no Poder Superior, porque SOMENTE Ele, sabe o que é melhor para nossas vidas.

Devemos praticar o desligamento com amor, que nada mais é nos preocupar menos com pessoa e mais consigo mesmo.
Confesso que demorei muitoooo para entender, que ainda estou aprendendo, e lembro que teve um post que até a Cici comentou sobre isso, que eu deveria praticar.
Li o post dela, li vários outros blogs a respeito, é difícil, mas é bom.

Hoje eu vejo por mim. Antes o amado recaía, eu ficava desesperada. Tem dia, que eu nem sei o que aconteceu, tem dia que eu sei que aconteceu e volto a dormir numa boa; acabou essa de "não vou dormir porque ele não está bem".
Porque na real, vai mudar alguma coisa eu ficar acordada? Infelizmente não. O que eu posso fazer e contínuo fazendo, é entregando nas mãos de Deus, e se ele falar alguma coisa a minha resposta contínua sendo a mesma "essa decisão é sua, é você que tem que sair dessa".

Eu fico triste por vê-lo se destruíndo, fico triste por vê-lo assoando o nariz toda hora, ainda mais quando tem sangue na secreção, mas isso é ele quem está procurando.
O caminho da recuperação ele sabe muito bem. Como ele também sabe usar a adicção como "muleta" para seus problemas.
Mas eu não posso deixar a minha dor falar mais alto, tem que partir dele buscar recuperação, eu estou aqui para apoia-lo.

O que não podemos nos esquecer, é deixar de cuidar de nós mesmos, de nos amar em primeiro lugar, porque o desligamento com amor, ele traz serenidade e crescimento.

Graças a Deus, última semana de prova e depois férias. Estou procurando emprego, não quero mais ficar em casa.
O amado não sei como está, estamos numa fase muito difícil com sua mãe. Eu nunca vi uma pessoa tão fútil, tão materialista. Eu louvo a Deus porque eu sei dos meus valores e não preciso provar isso para ninguém, e não tem dinheiro que compre a minha dignidade, mas no conceito dela caráter é na base do dinheiro.
Isso me chateia sabe, porque eu gostaria de viver bem com ela, mas...
E ele, fica divídido, se vem aqui em casa, ela fica enchendo o saco, se sai comigo enche o saco. E e ele fala, que por tudo isso, ele quer ficar comigo.
Eu louvo a Deus porque ele é diferente, mas estou triste, porque você sabem que para o adicto não precisa de muito para usar, enfim.

Bom restinho de final de semana pra vcs...
Que comece logo a semana...

Só mais 24hrs

sábado, 9 de junho de 2012

Nada além de Ti (Deus)


Tarde fria!
Estou ruim de saúde. As dores baixo-ventre não melhoraram. O médico está marcado para o dia 25/06, mas parece uma eternidade.
Eu estou tomando remédio e nada de melhorar.

E meu amado também não está bem.
Segundo minha sogra está em crise. Claro, quando ele não está bem, ela começa ligar aqui em casa.
Ela ligou para saber o telefone do pastor e queria saber se ele estava aqui, minha mãe disse que não.
Ai ela começou falar um monte sobre ele, eu desconfio do que é verdade e do que é mentira, pois ela se aproveita que minha não tem tanta experiência com adicto e mente.

E ontem o ápice da sua insanidade foi, que o condomínio onde ela mora, são de pessoas com grande poder aquisitivo, e se ficarem sabendo que ela tem um filho adicto vai envergonhá-la, por isso, ela vai deixar avisado na portaria, que quando ele estiver assim, para  não deixá-lo entrar.
Eu não sei se isso é uma mãe ou que... E não tenho nenhuma referência de algo ruim para fazer uma comparação.

Que pessoa é essa que dá mais valor a classe social, do que ver o filho ativo na rua?
Eu confesso que tudo tem um limite, mas fazer isso para ele de pirraça, por quê? Com qual finalidade?

Na semana passada nós saimos,  ela provocou ele até não querer mais porque ele saiu comigo, e ela não queria que ele tivesse saido, porque na opinião dela, ele tem que fazer as vontades dela.
Agora, ele recai, e ela liga aqui em casa. A sorte dela que não fui eu quem atendi, porque eu ia falar para ela se virar.
Ela me xinga e depois me liga como se nada aconteceu, desculpa querida, mas não aguento mais sua falsidade.

E para ajudar, minha cunhada entrou nessa onda também, sempre sai com um amigo dela, eles bebem e usam droga.
Ela não era assim, só usava de vez enquando, agora está usando direto.

Não sei onde tudo isso vai parar.
Não falei com o amado hoje, eu não estou chateada com ele, não estou brava, estou indiferente. Não sei se ele foi trabalhar, se não foi. Não sei.
Não sei como está sendo seus dias na sua casa, se ele ou sua mãe está mentindo, não sei.
Não sei até onde isso vai chegar ou vai durar.

São tantos "não sei", que prefiro nem saber para falar verdade.
Apenas tenho o seguinte pensamento, e no momento oportuno quero conversar com ele, que ele não tem nada em sua vida, ele tem duas opções de continuar não tendo nada por conta da droga ou correr atrás de sua recuperação (novamente), a qual é uma conquista diária, e pelo menos tentar ter alguma coisa.

Pois na idade dele, já era para ele ter sanado suas divídas e não vivendo essa vida achando que é uma parque de diversões, uma recaída aqui, outra ali, achando que nunca vai dar nada.
Mas nunca se sabe do dia de amanhã, Deus é muito bom, mas tudo tem um limite, até o dia que o limite de Deus acabar e resolver deixar alguma coisa acontecer.

Nós temos várias oportunidades na vida e se não soubermos aproveitá-las, elas vão embora e talvez não voltem.

De fora, nós temos uma visão diferente da situação, conseguimos enxergar erros que talvez as pessoas envolvidas não enxerguem. Mas daí lembramos que a única pessoa que podemos modificar é nós mesmo!

Eu não tenho nada além de Dele, então, vou continuar entregando minhas dificuldade, meus anseios nas suas mãos.
São tantas coisas... Mas só Ele consegue ver tudo e sabe de tudo, e sabe o que é melhor!

Só por hoje vivo na esperança de ter dias melhores.

 
♪Oh Deus, eu vim aqui só pra te dizer,
  Que minha esperança está em Ti,
  Eu não tenho nada além Ti 








sexta-feira, 1 de junho de 2012

Notícias


São 03:21 da madrugada, e eu aqui, passeando pelos blogs.
Fiquei um pouco fora, mas ai vem as notícias.

Sexta-feira, 25/05 fui dispensada do trabalho. Glória a Deus!
Muitas lágrimas, porque devido a rotina, acabamos nos apegando em algumas pessoas e essa foi a parte difícil.
Realmente eu estava precisando sair desse emprego, estava afetando muitoooo a minha saúde. Tanto que desde do dia em que sai, estou sem dores de cabeça e sem dores baixo-ventre.
A parte boa é que agora eu tenho tempo para me dedicar aos estudos, cuidar da minha saúde e assim que possível correr atrás de um outro emprego.
Pra falar verdade, eu já estou procurando, mas como o mercado está difícil.

No sábado, eu e o amado, mais a sua irmã e um amigo fomos para Santos. Como a CNH do amado foi recolhida e é de lá, fomos para lá resolver isso.
Curtimos um ótimos final de semana, até que...

Sim, ela apareceu. Me irrita demais.
Estava tudo bem, tudo ótimo, sendo que sua irmã, sabendo de sua adicção, tem a infeliz idéia de pegar um negocinho.
Ah, eu nem olhava pra cara dele, fiquei de costa a todo instante, e ele me abraçava, e falava, falava e eu indiferente.
Confesso que fiquei muitooooooo brava com sua irmã, poxa vida, ela já presenciou crises piores do que eu, e sabe que se ele resolve "engatar" uma crise o estrago que faz.
Eu tapei os ouvidos, coloquei uma blusa de frio com capuz e nem conversei com nenhum deles.
Me arrependi muito de ter ido.

E o mais interessante disso tudo, é que só falavam de assunto do passado, bebida, droga, gente que morreu, gente que não presta.
Sinceridade, eu não sei o que ela quer para vida dela, porque ela pode usar "esporadicamente", e tudo bem, mas e ele? Cadê a compaixão?

Mas dai, fui para hotel, dormi, no dia seguinte fiquei numa boa. Comprei um biquiní e fomos para praia tomar um sol, ela pediu para ir junto, ele disse que tudo bem.

Ai ela falou, vamo tomar um "cervejinha", ele disse que não.
Se iamos em algum lugar, ela falava de tomar alguma coisa com álcool, mas ele não quis, mas percebi sua inquietação.
Ele tinha parado de fumar. Mas com todo esse quadro, estava fumando um atrás do outro.

Retornamos na segunda a tarde, ele ia trabalhar e eu para faculdade. Até então ele ficou numa boa.
Só que aconteceu algo tão chato, que me senti mal.
O combinado seria eu voltar para minha casa, ele me levaria. Como ficamos o dia inteiro correndo atrás da CNH, ele não dormiu a tarde, dai eu disse para ele que voltaria com o carro, ele respondeu que não.

Nisso, sua mãe ligou, para saber como eu iria embora (o que me irrita demais, porque se ela quer saber das coisas, ela sempre pergunta de mim), ai ele falou que me levaria.
Ela perguntou se não tinha como o meu pai me buscar, só que meu pai já tinha ido trabalhar, e ai eu percebi que ela começou a reclamar.

Deu uns 20 minutos depois, ela ligou, falando que ia buscar o meu sogro no aeroporto e que me levaria.
Eu não gostei da idéia, mas não tinha outra opção, só não queria ir sozinha com ela.
Eu me sinto mal sabe, uma pessoa que te critíca, fala mal de você, te julga a todo momento e depois olha na sua cara e fala coisas, como se nada tivesse acontecido, acreditando que eu não sei de nada, é demais.
Se não gosta de mim, tudo bem, ninguém é obrigado a gostar de ninguém, mas não seja falsa, não venha fingir que gosta, porque eu sei que não gosta.
E se for ver, ela que tinha que se sentir mal e não eu. Mas mesmo assim eu sinto, porque eu não consigo fingir.

Ai, chegando lá, ela fala para o amado que ia buscar primeiro o meu sogro e depois me levaria, pois ele já havia chegado fazia algum tempo e estava esperando.
Eu disse que não podia faltar da faculdade, pois era revisão de matérias para prova.
Ai o amado falou que levaria. E ela começou a falar "não meu filho, você não vai dormir meu filho, como você vai trabalhar meu filho. Eu acho que a Mari poderia ser um pouquinho mais compreensiva e não ir para faculdade, mas ela não quer ser".

Naquele momento eu engoli o sapo, a florzinha da lagoa e a lagoa inteira para não falar poucas e boas para ela. O amado já tinha se irritado e ela colocando pilha.
Gente foi o cúmulo pra mim.

Para ajudar, deu errado a CNH, pois o guarda que recolheu a carta, deu o papel errado, ou seja, perdemos a viagem!

E ele já estava estressado por conta disso. Ai eu falei para ele, que da próxima vez, sairiamos mais cedo, pois pegamos um pouco de trânsito em SP.
Ele disse que não ia mais, que o que ele tiver que fazer, iria fazer sozinho...
Ai eu nem falei mais nada, só deixei minhas coisas aqui e fui para faculdade.

Só que na sexta, dia 25/05, eu precisei ir na faculdade, para fazer um trabalho com meu grupo.
A maioria dos grupos se reuniram na sexta para fazer também. Só que nesse dia, ele dormiu em casa, já tinha bebido, e disse que não queria andar sozinho na rua para não fazer besteira.
Fui na faculdade, só que a mãe dele ligou e ficava falando para ele que era mentira, que eu não tenho aula. Eu expliquei que era um trabalho para entregar e tudo mais.

Quando foi essa semana, ele falou que iria para Santos sexta, eu falei que ia junto. Ai ele falou, mas você tem aula, então você não vai.
Eu falei que não, que só foi aquela vez que eu precisei ir para fazer o trabalho.
Sua resposta foi que a história estava muito mal contada. Dai eu apelei, e falei "escuta aqui, faz dois anos que eu namoro você e nunca te dei motivo para desconfiar de mim, agora porque eu fui fazer trabalho você vai desconfiar. Primeiro, eu não tenho nada esconder, é isso e ponto, se você quiser acreditar tudo bem, se você não quiser, não posso fazer nada, pois eu sei que eu não estou mentindo e já te expliquei o que fui fazer lá".

Ai ele não falou mais nada e disse que não vai para Santos, que iria comigo, e quer ver quando que eu posso ir.

Estamos bem, graças a Deus. Ele está bem, só está reclamando que não está conseguindo dormir, pois tem muitas coisas para serem acertadas na sua casa nova e hoje estavam instalando alguma coisa lá que ele não está conseguindo dormir já tem uns dois dias.

A sua mãe, para mim é indiferente, nem me preocupo em saber se ela está bem ou não. Eu não sei mais o que fazer, pois já faço o máximo de tentar viver bem com ela, mas ela insiste em arrumar motivos, e implicâncias comigo.
Eu só espero que o amado não vá pelas idéias dela.

Porque é fato, que entre eu e a mãe dele, ele vai preferir a mãe dele. Certo que somos completamente diferente, que ela não o incentiva, o ajuda e eu sempre estive disposta a isso, mas ainda fico com pés atrás.

Serenidade a todos!